Roland Garros reserva grandes duelos para a segunda semana
Por Chiquinho Leite Moreira
junho 4, 2017 às 8:00 pm

Nada se compara ao clima eletrizante da primeira semana de um Grand Slam. Muita agitação em todas as quadras, jogos emocionantes por todos os lados e um agito gostoso. Agora, as maiores emoções se fecham nos palcos principais, para um público mais limitado, porém, com duelos que deixam enormes expectativas,

Na chave masculina de Roland Garros o quadro inferior colocou alguns dos principais favoritos em rota de colisão. E chegou o momento destes duelos acontecerem. Rafa Nadal pelo que vem mostrando não deve encontrar muitos problemas para superar mais um espanhol. Terá pela frente Pablo Carreno Busta, fugindo dos tiros e saques violentos de Milos Raonic, que caiu na última rodada. Em busca do décimo troféu dos Mosqueteiros nem mesmo terá de desafiar Grigor Dimitrov, que também não parece ser páreo par o rei do saibro em Roland Garros.

É claro que as maiores expectativas ficam para o encontro de Novak Djokovic com Dominic Thiem. Enquanto o atual campeão, número dois do ranking, vive momentos de instabilidade, o jovem austríaco esbanja tênis e um preparo físico impressionante no alto de seus 23 anos. Chega em todas as bolas com incrível eficiência.

A tentativa de uma parceria com Andre Agassi não rolou como Djokovic gostaria. Voltou a ter nas arquibancadas o guru espiritual Pepe Imez, que na minha opinião deve estar mais complicando sua cabeça do que ajudando, e a família. Seu pai, Srdan, era enérgico e exigente com Novak nos seus tempos de formação. Pelos bastidores do mundo do tênis dizem que a ida do tenista para a Alemanha, para treinar com Niki Pilic, também foi uma forma de fugir das broncas e tabefes. Essas lembranças nunca são boas. Vide o exemplo de Andre Agassi, que também tinha um pais enérgico, e admitiu que, por um momento, chegou a odiar a ideia de jogar tênis.

O lado de cima da chave ainda mostra um número 1 sem muita confiança como está atualmente Andy Murray. Sua vantagem, em relação à Djokovic, é que ele conseguiu reunir uma força tarefa para auxiliá-lo em Roland Garros. Mas em seu jogo contra Juan Martin Del Potro estava nítida sua irritação com Jamie Delgado. Pelo menos, ainda tem os conselho de Ivan Lendl.

O próximo desafio de Murray é contra o russo Karen Khachanov, de 21 anos, que é treinado pelo espanhol Galo Branco. O jogo também promete. Stan Wawrinka vem correndo por fora, e muito rápido. Pega Gael Monfils, que não jogou no saibro este ano, por conta de lesão no joelho esquerdo, mas sempre é um adversário difícil. Ainda há um duelo de “big guns” entre Kevin Anderson e Marin Cilic. E o espanhol Fernando Verdasco, cheio de confiança após eliminar Alexnader Zverev, contra Kei Nishikori.

A semana promete e começa intensa já nesta segunda feira.


Comentários
  1. Marcos RJ

    Chiquinho,
    Curiosa essa historia do Djokovic levar tabefe do pai durante a fase de formação. Seria essa então a possivel causa da recente instabilidade emocional do sérvio? Eu ja tinha ouvido sobre a suposta traição que abalou o casamento, mas nao se sabe até que ponto isso é especulação.
    Com relação ao Agassi, as noticias diziam que a participação seria mesmo limitada e Djokovic estava satisfeito com o inicio promissor. Por que você indica que o plano nao foi como esperado?
    Abraço

    Reply
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Acho q a instabilidade emocional do Djoko não está ligada às agruras de sua formação e nem mesmo a está louca história de traição. Não vejo fundamento nisso. Tem muita gente na Internet que é um porre. Ouve o galo cantar e não sabe aonde e acha que sabe de tudo. Caro Marcos até a minha esposa se irrita com isso: checo a informação diversas vezes. Tenho muitas fontes boas e seguras. Mas o que acontece com Djoko é complicado e tem como se resolver … abs e obrigado pela paciência na resposta

      Reply
  2. Augusto A.

    Caro Chiquinho, é impressionante a forma como Nadal está jogando em Paris este ano. Penso que ele conseguiu retornar àquele estilo imbatível no saibro que o fez vencedor por inacreditáveis nove vezes. Pergunto: você consegue ver algum adversário capaz de sobrepujar o Touro Miúra em RG este ano? Porque ele está jogando com extrema confiança e eficiência; chegou até a segunda semana perdendo apenas 20 games!! Uma verdadeira máquina de jogar tênis no saibro.

    Reply
  3. Clovis Grelak

    Uma crítica na forma de reclamação. Gosto muito de suas colunas, Chiquinho, assim como as do Dalcim. Mas o site mostrar ainda a coluna, esta mesmo, em que o tema especula a segunda semana de Roland Garros, (ainda) numa segunda-feira, depois que o torneio terminou, em que a façanha de Nadal é notícia mundial, convenhamos, passa uma ideia de desatualização, descompromisso, falta de dinamismo do portal… Reitero que reclamo porque gosto do conteúdo, sou fã da coluna. E me desculpe pela reclamação. Se não gostasse, se não a lesse, se não, enfim, do contrário, tipo assim, não ia reclamar. Abraço.

    Reply
    1. Chiquinho Leite Moreira

      Vc tem razão… mas a culpa não é do site, mas sim minha. Andei muito ocupado e sem tempo para atualizar as colunas.

      Reply
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Comentário

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>